Estilo de Vinhos – Espumantes

Scroll down to content

Hoje vamos começar a falar dos estilos de vinho, isso mesmo, estilo.

Para que possamos entender esse caminho é importante que saibamos que essa é uma forma de tornar sua experiência mais prazerosa, a partir da identificação da categoria de produto que mais te agrada.

Assim e mais fácil vc escolher qual caminho quer seguir na hora de fazer a compra e também a harmonização, certo?

De forma ampla podemos classificar os estilos em:

  • Espumantes Vinho Branco Leve
  • Vinho Branco Encorpado
  • Vinho Branco Aromático
  • Vinho Rose
  • Vinho Tinto Leve
  • Vinho Tinto Médio Corpo
  • Vinho Tinto Encorpados
  • Vinho Sobremesa

Vamos começar comemorando, ou seja, com espumantes… tem coisa melhor?

Os espumantes são carbonatados pela fermentação e embalagens herméticas, por meio de dois métodos de fabricação o tradicional e o charmat, produzidos no mundo todo através de um desses processos e com a mesma variedade de uvas, da região de Champagne.

Mas cuidado não é qualquer espumante que pode ser chamado de Champagne, isso só pode acontecer se as uvas e principalmente o produtor e a produção for desenvolvida pela região de Champagne, ok?

Champagne ou vinho espumante?

A denominação champagne é uma appellation dorigine contrôlée (DOC – denominação de origem controlada). A região de Champagne, na França, é a única no mundo que pode dar o nome de champagne aos seus espumantes. Nem outras regiões da França podem chamar assim seus vinhos espumantes. Champagne, tem um solo com características específicas que propiciam as uvas aptas para um champagne (Chardonnay, Pinot Noir e Pinot Meunier) e um clima frio. O vinho elaborado com essas características, em outros países, recebe a denominação de vinho espumante. O Brasil com sua produção tem alcançado qualidade a nível internacional. O Rio Grande do Sul é responsável pela maior parte da produção nacional.

Para os Espumantes temos as seguintes classificações e métodos:

Tradicional

  • Cava, da Espanha, com aromas de Marmelo, Limão, Maçã Golden, Pera e Amêndoa, deve ser consumido gelado, com guarda de ate 2 anos e na faixa de preço entre R$60 e R$100
  • Champagne, da França, com aromas de Cítrico, Pêssego, Cereja-Galega, Amêndoa e Torrada, deve ser consumido gelado, com guarda de até 10 anos e na faixa de preço acima de R$250

Charmat

  • Lambrusco, da Itália, com aromas de Morango, Cereja, Boysenberry, Ruibarbo e Hibisco, deve ser consumido frio, com guarda de até 2 anos e na faixa de preço entre R$30 e R$60
  • Prosecco, da Itália, com aromas de Maçã Verde, Melão, Pera, Madressilva e Creme, deve ser consumido gelado, com guarda de ate 2 anos e na faixa de preço entre R$60 e R$100

Bem por hoje ficamos por aqui, semana que vem tem mais, informação para enriquecer seu caminho nessa deliciosa jornada, falaremos dos Brancos Leves, até lá.

Mas lembre-se, sempre considere as regras, mas elas têm que atender essencialmente ao seu “gosto”, então não vire o chato do manual ao consumir ou participar de uma degustação, pode ser que o meu “melhor” vinho não agrade o seu paladar e isso não e crime, seja simpático e não critico, é comum acontecer que os gostos não combinem ok? Não precisa brigar por conta de nisso, alegria, felicidade e acima de tudo muita paz!

Santé!!!

O Guia Essencial do Vinho, Madeline Puckette e Justin Hammack, Editora Intrínseca

Associação Brasileira de Enologia – https://www.enologia.org.br/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: